1673

Câmara Municipal de Ilhéus

Pular para o conteúdo

A presença da Câmara em Inema representa o rompimento do isolamento político com a sua gente, diz Jerbson Moraes

14/10/2021 às 09h13

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


A Câmara de Vereadores de Ilhéus saiu ontem (13) do centro da cidade e foi até uma das suas regiões mais distantes e esquecidas - a zona rural de Inema, cerca de 100 quilômetros da sede -, para conhecer de perto as necessidades da população. Foi a estreia da Sessão Itinerante, iniciativa criada pelo vereador e presidente da Casa, Jerbson Moraes (PSD), definida como um instrumento voltado para a interiorização do Poder Legislativo, de suas atividades e interação com a comunidade.

“A nossa presença aqui representa o rompimento do isolamento político, significa atenção especial com o seu povo. Viemos cumprir nossa obrigação. Sentir a dor do povo e trabalhar para cessar essa dor. Falar da água que não chega às torneiras, da necessidade de reforma da escola, da falta de médico, de remédio, da ambulância, sentir a dificuldade de quem precisa trafegar pelas estradas Inema/Pimenteira e Inema/União Queimada”, disse Moraes, sendo bastante aplaudido.

A praça da localidade ficou lotada. A população apoiou e prestigiou a iniciativa. Durante a sessão, todos os vereadores presentes subscreveram requerimentos que serão entregues ao prefeito Mário Alexandre, pedindo encaminhamentos e soluções para diversos problemas que já duram muitos anos. “É bom lembrar que são requerimentos de toda a Câmara e não de um vereador só. São requerimentos da Casa. A Câmara Itinerante não termina aqui. Depois dessa sessão a responsabilidade aumenta. Vamos precisar, independentemente de ideologia política, se é base ou não é base, exigir do prefeito a execução dos serviços reivindicados. Vamos ter que trabalhar juntos ao prefeito, ao secretariado. Nós não vamos poder deixar essa comunidade sem água, sem segurança, sem médico, sem remédio, desassistida como está”, afirmou.

Da importância ao esquecimento

De grande importância econômica no passado, especialmente por conta da sua produção de cacau, a região de Inema chegou a lutar por sua emancipação político-administrativa, mas não conseguiu seu intento. Para se chegar a um dos mais distantes distritos de Ilhéus, é preciso percorrer quase 100 quilômetros, cortar os municípios de Itajuípe e Coaraci e ainda enfrentar estradas vicinais quase sem manutenção. Chega a faltar na população o sentimento de pertencimento a Ilhéus. Muitos serviços que deveriam ser executados pelo poder público municipal local terminam sendo atendidos por prefeituras mais próximas. “Temos vergonha de dizer que somos daqui pelo que passamos”, disse um dos moradores que usaram da palavra durante a sessão. Por todo este contexto, Inema foi estrategicamente escolhida pelo presidente da Câmara para sediar a primeira Sessão itinerante.

“Até entendemos tudo isso que vocês nos dizem, nós sabemos de tudo, mas não vivenciamos o dia-a-dia de vocês. Hoje sim foi possível testemunhar. Nós sabemos que vocês existem, e é por isso que estamos aqui, para ouvir vocês. O povo de Inema é ilheense e precisa da nossa representação, do nosso compromisso político. Uma cidade geograficamente complexa exige que a Câmara venha até vocês”, completou Moraes.

Forte participação da Câmara

Participaram da Sessão Itinerante o vice-presidente Fabrício Nascimento (PSB), o 1º Secretário Ederjúnior dos Anjos (PSL), além dos vereadores Enilda Mendonça e Augusto Cardoso, o Augustão (PT); Paulo Carqueija e Azimário Belmonte, o Gurita (PSD); Baiano do Amendoim (PSDB), Nerival Reis (PSL), Cláudio Magalhães (PCdoB), Tandick Resende (PTB); Vinícius Alcântara e Luciano Luna (PV); Ivo Evangelista (Republicanos), César Porto (PSB) e Ivete Maria (DEM).