1673

Câmara Municipal de Ilhéus

Pular para o conteúdo

Representantes de instituições debatem sobre ocupação da Avenida Soares Lopes, construção do novo fórum foi pauta da Audiência

08/11/2021 às 19h45

Noticia

Galeria com imagens e vídeos sobre a matéria


Aconteceu na última sexta-feira (5) a 10ª Audiência Pública promovida pela Comissão Especial da Avenida Soares Lopes, que tem como objetivo discutir o futuro da Avenida e a urbanização do espaço. A audiência aconteceu no plenário Gilberto Fialho, na sede do Palácio Teodolindo Ferreira, em Ilhéus, e contou com a participação de representantes de diversas Instituições da região.

O presidente da Comissão, o vereador Vinícius Alcântara (PV), explicou que a intenção é produzir um relatório final com todas as contribuições que ocorreram nas audiências com os diversos setores, nos últimos 120 dias. “E que o relatório inspire o Poder Executivo Municipal a realizar um projeto para a Avenida Soares Lopes, um espaço maravilhoso que temos na nossa cidade, capaz de melhorar a economia, a educação, o esporte e o lazer da nossa gente”, destacou o parlamentar. 

Representando o Lions Club de Ilhéus, José Vital Dourado, que já fez parte do IBGE e é professor e biólogo, além de morador da Avenida Soares Lopes, salientou a importância da Avenida para Ilhéus. “Ela é nosso cartão postal e reflete o que é o povo ilheense. Nós devemos sim buscar o desenvolvimento do espaço, que por muitos anos sempre foi muito bem frequentado, mas com a chegada do Porto e afastamento da maré, acabou restando uma grande área que necessita ser ocupada”, opinou Vital. 

CONSTRUÇÃO DO FÓRUM NA AVENIDA SOARES LOPES

“A gente não pode negar que ilhéus está predestinada a traçar um futuro brilhante e que depende de nós”, declarou o Diretor do Fórum de Ilhéus, Antonio Higino. “Eu vejo que a Avenida Soares Lopes tem espaço para todos. Vejo-a como um grande Centro Administrativo com a existência de um Fórum e outros órgãos, pois eles ficarão no Centro, bem localizado e com fácil acesso para as pessoas”, completou. 

O Diretor explicou que o Tribunal de Justiça da Bahia está com um orçamento em torno de R$ 35 milhões para construção deste novo empreendimento. “Será um fórum altamente moderno e que se enquadrará nas exigências da legislação ambiental. Nada será feito sem que seja observada a preservação da natureza. E com a chegada do novo Fórum, teremos vários aspectos importantes, como consequentemente a geração de novos empregos, o aumento do número de estagiários, entre outros. Então é possível que exista a harmonização entre o progresso e a preservação da ambiental”, finalizou Higino. 

A Vereadora Enilda Mendonça (PT) apresentou a sua posição em relação à construção do Fórum de forma isolada na Avenida Soares Lopes, deixando claro que ela não é contra a construção naquele local, mas que seja realizado um planejamento de urbanização e ocupação da Avenida como um todo, de forma integral. “Precisa parar de ceder espaços de forma desordenada e sem planejamento. Cede, constrói e não sabe qual ocupação terão os espaços ao redor”, explicou a vereadora.

O posicionamento da vereadora também foi corroborado pelo representante da Defensoria Pública do Estado da Bahia, Leonardo Couto, que opinou que a construção do Fórum naquela localidade precisa ser avaliada e debatida com a população de Ilhéus. “Qual o projeto em torno do Fórum? Na avenida Soares Lopes tem que ter um projeto de ocupação geral e sempre ouvindo a população, analisando a logística e com um estudo bem minucioso”, defendeu o defensor público.

Fundadora do GAP, Nádja Argollo, também compactuou do mesmo pensamento. “Nós fundamos o GAP devido a vontade de ver aquela praia limpa, com acessibilidade, com área de esporte e lazer, preservação de tartarugas, entre outros atrativos. A construção do Fórum poderia ser em um local mais distante do Centro. Já existe uma dificuldade de chegar até a praia, e com o Fórum dificultará esse acesso ainda mais”, defendeu Nádia, que opinou que o ideal seria implantar o órgão em um local mais distante, fora do Centro, para levar desenvolvimento para outros locais. “O Fórum indo para lugares menos movimentados, levará diversos empreendimentos para o local, como comércio, moradias e outra área passaria a ser desenvolvida também”, finalizou 

EMBASA

O Diretor Regional da Embasa, Felipe Madureira, afirmou que recentemente a Instituição renovou o contrato com a Prefeitura de Ilhéus por mais 30 anos, para resolver a área de saneamento e fornecimento de água para os locais que ainda não possuem. “Temos o compromisso de acompanhar o desenvolvimento da cidade e chegar a 2033 fornecendo 90% de tratamento de esgoto ao município”, informou Felipe.

O Diretor ainda trouxe alguns pontos que já estão em andamento em relação ao serviço da Embasa na Soares Lopes. Antigamente o esgoto daquela região era lançado 24h por dia diretamente no mar. Na década de 90, a Embasa fez a estação elevatória para coletar e bombear todo o esgoto para o local de tratamento na Ilhéus-Itabuna. Hoje não existe mais desague de esgoto na praia da Avenida Soares Lopes. “Agora temos o projeto de harmonizar, adequar aquela elevação para criar uma roupagem nova àquela estação, pois com a vinda da ponte ela acabou até ficando mais em evidência. Então a solicitação já foi realizada à arquiteta responsável”, explicou o diretor. 

Outra situação que acontece na Avenida Soares Lopes e que o representante da Embasa trouxe para discussão é a quantidade de gordura que é descartada pelos estabelecimentos daquela região, pois são muitas construções antigas que não possuem caixa de gordura. “Como solução paliativa, a Embasa já realiza a coleta nos restaurantes e estabelecimentos, transforma o material em sabão e entrega à moradores no bairro Teotônio Vilela”, esclareceu Felipe.